Últimas Notícias
Search

Brasil pega a Sérvia e espera, enfim, lágrimas de alegria.

Neymar chorou de alegria, desabafando após a vitória sobre a Costa Rica. Tite confessou que chorou após vencer o jogo contra o Equador nas eliminatórias para a Copa de 2018, o primeiro dele no comando da Seleção Brasileira. Então, que o Brasil vença ou empate com a Sérvia nesta quarta-feira (27), às 15h (de Brasília) no estádio Spartak, em Moscou, e a torcida brasileira também tenha motivos para derramar lágrimas de alegria pela classificação às oitavas de final. A Canarinho pode se classificar até se perder, desde que a Suíça perca por uma boa margem de gols para a Costa Rica, o que é pouco provável. Mas se vencer com muitos gols, então, que todos chorem pela imensa alegria.


Irritação, encenação, lágrimas. Essa foi a imagem deixada em campo por Neymar, após a sofrida vitória sobre a Costa Rica. Contra os sérvios, o camisa 10 da Seleção terá que deixar as emoções de lado para ajudar o Brasil a selar a vaga nas oitavas da Copa do Mundo da Rússia. E se fizer os gols que a torcida espera dele, então...

Nem o fato de ter marcado seu primeiro gol no Mundial russo, o segundo do Brasil na partida, foi capaz de aliviar as críticas ao atacante do Paris Saint-Germain, que, assim como na estreia contra a Suíça (1x1), respondeu à forte marcação do adversário com individualidade, irritação e encenações excessivas. Mas Neymar ficou ainda mais marcado pelo que fez quando o juiz apitou o fim do jogo. Ajoelhado no meio de campo, seu choro compulsivo virou manchete, reabrindo velhas feridas que a torcida brasileira esperava cicatrizar de vez na Rússia.

De fato, a atitude de Neymar fez os torcedores relembrarem o fiasco de 2014, quando uma Seleção à beira de um ataque de nervos e marcada pela fragilidade emocional acabou sofrendo a pior derrota de sua história, o 7x1 da Alemanha, no Mineirão, em plena semifinal do seu segundo Mundial em casa.

A esperança, porém, é de que as lágrimas do craque não sejam um sinal da enorme pressão que carrega nos ombros, mas sim de alívio por finalmente estar fisicamente inteiro. Dois dias depois da dura partida contra os costarriquenhos, Neymar reapareceu diante das câmeras durante treino da Seleção exibindo um sorriso de orelha a orelha.

Na atividade, em meio a brincadeiras com os companheiros, mostrou pela primeira vez em solo russo desenvoltura e leveza com a bola, um sinal de que a lesão no tornozelo direito que o incomodou nos dois primeiros jogos tinha sumido de vez. Parecia até que as recentes críticas recebidas, rebatidas por Neymar nas redes sociais, eram um episódio do passado.

"Ele não tem mais nenhum problema no pé direito. Está totalmente recuperado, mas ainda está em crescente com relação a ritmo de jogo, confiança. A cada jogo, ele se sente um pouco melhor", confirmou o médico da Seleção, Rodrigo Lasmar. O técnico Tite também já havia alertado que Neymar precisaria de tempo para recuperar seu melhor nível, após longo período longe dos gramados devido à cirurgia no pé direito.

"Ele ficou três meses e meio parado e a partida anterior foi a primeira. Ele é um ser humano, precisa de tempo para retomar o padrão alto. E vai retomar", declarou o treinador após a partida contra a Costa Rica. A julgar pela mudança no semblante do craque, essa retomada pode acontecer contra a Sérvia.

Sem mudanças

Para o terceiro e decisivo duelo do Brasil no Grupo E do Mundial russo, Neymar não poderá usar o argumento da falta de entrosamento como desculpa. Tite deverá escalar a mesma equipe titular que enfrentou a Costa Rica. Por convicção, mas também por causa das lesões.  Com Danilo e Douglas Costa vetados pelo departamento médico, Fagner será mantido na lateral-direita, enquanto Willian, que pouco produziu nos dois primeiros jogos, ganhará outra chance ao lado de Neymar e Coutinho na armação das jogadas.

Atrás, Thiago Silva e Miranda farão a dupla de zaga à frente do goleiro Alisson, enquanto Marcelo será responsável por defender a lateral e apoiar Coutinho e Neymar no ataque pelo lado esquerdo. Casemiro e Paulinho farão novamente a dupla de contenção no meio.

Do outro lado do campo, os comandados de Tite deverão ter uma grata surpresa: após duas partidas contra equipes que puderam se dar ao luxo de esperar pacientemente na defesa e apostar nos contra-ataques, o duelo contra a Sérvia promete mais espaços para o Brasil, líder do Grupo E com quatro pontos e que precisa apenas de um empate para avançar.

Da Folha PE.



Gilson Pereira

Locutor e apresentador, Blogueiro, Funcionário Público e Acadêmico de Letras.Trabalho - Ocupação Identificador Civil e Criminal


0 “Brasil pega a Sérvia e espera, enfim, lágrimas de alegria.