Últimas Notícias
Search

Caminhoneiros: Temer e o acordo que não pode cumprir.

Pontos do acordo que Temer propôs aos caminhoneiros preocupam órgãos do governo. O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), por exemplo, vê com extrema desconfiança o nivelamento de preços por meio de uma tabela de referência para fretes.
No formato apresentado pelo Planalto, essa tabela seria atualizada trimestralmente. Integrantes do Cade dizem que a proposta é um verdadeiro retrocesso e que pode levar a um “cartel institucionalizado”.

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) e as Federações das Indústrias também são contra o tabelamento de frete. Na avaliação das entidades, a fixação de preços mínimos infringe o princípio da livre-iniciativa e é ineficaz: não corrige o problema de excesso na oferta de caminhões.

Para a CNI, a fixação de preços mínimos do frete levará ao aumento geral dos custos, em função da alta dependência de rodovias para o transporte de cargas e dos “riscos associados à indexação em um país com memória de alta inflacionária”.  

(Painel – Folha de S.Paulo – Daniela Lima)



Gilson Pereira

Locutor e apresentador, Blogueiro, Funcionário Público e Acadêmico de Letras.Trabalho - Ocupação Identificador Civil e Criminal


0 “Caminhoneiros: Temer e o acordo que não pode cumprir.