Últimas Notícias
Search

ENTREVISTA : Fernando Bezerra faz diagnóstico do Governo Paulo Câmara e das Eleições de 2018.

O Senador da República e pré-candidato ao Governo de Pernambuco, Fernando Bezerra Coelho (MDB), concedeu entrevista exclusiva ao Blog do Robério Sá, tratando sobre os principais temas que atingem o estado, administrado pelo Governador Paulo Câmara (PSB) – que tentará a reeleição neste ano. Após declarar que está animado para ser o novo governador, Bezerra Coelho, aproveitou para analisar a atual gestão pelo lado fiscal e financeiro, através do balanço estadual, divulgado esta semana no Diário Oficial.

Durante o bate-papo, o senador emedebista, ainda, falou sobre o cenário eleitoral, previdências e percentuais de investimentos.

O emedebista, também, comparou o desempenho de Pernambuco com o estado do Ceará, governado por Camilo Santana e da Bahia, pelo governador Rui Costa, ambos do Partido dos Trabalhadores (PT). Segundo Fernando Bezerra, nos últimos anos, eles obtiveram resultados expressivos na administração pública, mesmo diante da crise que afeta todas as regiões do país.

Blog do Robério Sá – Qual a avaliação que o senador faz sobre o ato das oposições em Petrolina, na semana passada?
Fernando Bezerra – O Pernambuco Quer Mudar, em Petrolina, foi um evento maior do que o do Recife e teve uma representatividade muito grande com a presença de várias lideranças, dos mais diversos setores da política.

Blog do Robério Sá – Haverá “frevo político” na escolha do candidato das oposições?
Fernando Bezerra – Durante a plenária em Petrolina, falei que meu nome estava à disposição da frente política para poder liderar ela nas próximas eleições, como também, colocava-me a disposição para apoiar qualquer um dos nomes que estão sendo avaliados.
Naquele momento, disse que de uma coisa eu teria certeza, que eu seria o mais animado de todos os candidatos. Após o evento, o senador Armando Monteiro deu uma coletiva comentando sobre esse sentimento de animação para a corrida eleitoral deste ano.

Blog do Robério Sá – Sua posição, ao lado do presidente Michel Temer, poderá atrapalhar sua caminhada ao Governo de Pernambuco?
Fernando Bezerra – O Brasil vive um momento novo na política e o que vai prevalecer na escolha do governador de Pernambuco não é o seu palanque nacional é a sua proposta para os pernambucanos.fernando-bezerra-luciano-duque-roberiosa2 Entrevista Exclusiva: Fernando Bezerra faz diagnóstico do Governo Paulo Câmara e das Eleições de 2018Fernando Bezerra destaca influência de Lula na corrida ao Governo de Pernambuco. Foto: Robério Sá.

Blog do Robério Sá – Como avalia a influência do ex-presidente Lula na corrida eleitoral ao Governo do Estado?
Fernando Bezerra – É evidente, e ninguém pode negar, a influência que o ex-presidente Lula tem em Pernambuco. Como filho daqui, fez um grande governo e ajudou o estado.
Eu fui secretário de Eduardo Campos, e essa tabelinha de Lula e Eduardo produziu resultados fantásticos para Pernambuco. Então, é evidente que uma fala ou um apoio do ex-presidente Lula terá relevância e importância no processo político eleitoral.

Blog do Robério Sá – Mas, afinal, o que será decisivo, então, para estas eleições em Pernambuco?
Fernando Bezerra – O que posso adiantar é que não será o palanque de A, B, C ou D que será decisivo para a eleição no estado. O que será decisivo são as propostas e, sobretudo, à vontade e o sentimento que os pernambucanos estão de inaugurar um novo momento e um novo ciclo na política do nosso estado. Eu aposto nisso, estou animado com isso e acho que em sete de outubro o voto será o voto da esperança, será o voto da mudança.
Blog do Robério Sá – Quando será iniciado o processo de construção de projeto para o estado de Pernambuco nas oposições?
Fernando Bezerra – Alguns setores da imprensa tem reclamado que a oposição só faz criticar e que é preciso apresentar propostas. Na verdade, queremos avançar, no entanto, o momento, ainda, não é da apresentação da proposta, até porque as candidaturas não estão firmadas. Na hora que as candidaturas estiverem firmadas, então, teremos que apresentar propostas. Mas, o projeto e as propostas não podem começar de cima para baixo, pelo contrário, temos que ouvir a população e rodar o estado todo, porque todo mundo tem uma sugestão a dar e uma contribuição. As pessoas estão desejosas para participarem desse processo. Estou muito tranquilo e confiante de que as forças de oposição, mesmo em campos diferentes e divergentes, irão construir um projeto.
fernando-bezerra-luciano-duque-roberiosa Entrevista Exclusiva: Fernando Bezerra faz diagnóstico do Governo Paulo Câmara e das Eleições de 2018
Fernando Bezerra comentou sobre sua saída da Frente Popular de Pernambuco e recordou histórias com Eduardo Campos.
Blog do Robério Sá – Sua saída da Frente Popular causou um forte mal-estar na base de Paulo Câmara. O senhor atribui essa saída com a decisão que Eduardo Campos tomou para disputar a eleição presidenciável?
Fernando Bezerra – Eduardo Campos foi muito feliz quando perguntaram a ele em 2014, no início da sua campanha: ‘Mas Eduardo, você que votou em Lula duas vezes agora romperá para se apresentar como candidato a presidente do Brasil?’ Então, ele disse: ‘O fato de ter votado uma ou duas vezes não nos obriga a votar sempre. Quando você já não se sente representado no projeto o melhor que você pode fazer é dissentir e se apresentar para o julgamento da população e da comunidade’.
Então, é o que digo a Frente Popular de Pernambuco, que tenho muito orgulho de ter participado de muitas lutas, mas o fato concreto é que a atual administração, que carregava a nossa esperança de poder e dar sequência ao trabalho do governador Eduardo Campos, essa experiência foi rompida.
Blog do Robério Sá – Como avalia a gestão do Governador Paulo Câmara nesses últimos anos?
Fernando Bezerra – O que nós estamos vendo é um grande fracasso e resultados pálidos da atual administração. O estado de Pernambuco vai mal do ponto de vista das finanças públicas. Nem na área técnica conseguiram fazer o reajuste fiscal que se esperava.
Blog do Robério Sá – O que se esperava, então, senador de uma gestão de governador técnico na área fiscal e econômica?
Fernando Bezerra – O que se esperava era que fossem organizadas as finanças para que quando o Brasil voltasse a crescer – que vai voltar a crescer, agora a partir de 2018 -, Pernambuco pudesse recuperar o tempo perdido.
Blog do Robério Sá – Quais considerações o senador faz sobre o balanço da gestão divulgado no Diário Oficial de Pernambuco?
fernando-bezerra-luciano-duque-roberiosa3 Entrevista Exclusiva: Fernando Bezerra faz diagnóstico do Governo Paulo Câmara e das Eleições de 2018
Fernando Bezerra aponta crise severa no Governo do Estado de Pernambuco.
Fernando Bezerra – Se fala de um déficit de R$ 200 milhões, mas esse não é o real. O déficit quando você coloca tudo, inclusive serviços da dívida, o pagamento da dívida e das amortizações é muito mais de R$ 900 milhões. E, ainda, não é o real, porque a dívida com os fornecedores é de mais de R$ 1,3 bilhões de reais. Então, o estado de Pernambuco vive hoje uma situação muito difícil e nós precisamos debater isso.

Blog do Robério Sá – Ultimamente, o senador tem utilizado o estado da Bahia e do Ceará para comparar o fracasso do Governo Paulo Câmara. Do ponto de vista técnico, por que essa comparação?
Fernando Bezerra – O estado da Bahia e do Ceará investem 10% da sua receita. Pernambuco está conseguindo investir apenas 5% da sua receita; isso se verificou nos últimos três anos.
As entregas que o governo está realizando ficou muito aquém daquilo que foi prometido. Na área de investimento público, Pernambuco fechou três anos de governo e bateu R$ 3,1 bilhão de investimentos, uma média de R$ 1 bilhão por ano. O Ceará bateu R$ 5,8 bilhões e a Bahia R$ 7,2 bilhões.
Há quatro anos, Pernambuco liderou os investimentos públicos no Nordeste. Portanto, a desculpa dada pelo Governador (Paulo Câmara) de que os investimentos se reduziram em função da crise não se mantém, porque a crise foi igual no Brasil inteiro. Foi igual em todos os estados do Nordeste, inclusive, a crise foi até mais intensa no Nordeste do que em outras regiões. Então, o fato concreto é que o Ceará e Bahia conseguiram investir mais do que Pernambuco.

Blog do Robério Sá – Senador, como avalia a crise da previdência estadual e nacional em seu aspecto técnico?
Fernando Bezerra – Existe problema em nível de Governo Federal cuja dívida (déficit) da previdência foi de mais de R$ 238 bilhões de reais. Mas, em Pernambuco, o déficit da previdência estadual foi de R$ 2,4 bilhões. No ano passado, foi R$ 2, 1 bilhões e a projeção para este ano vai ultrapassar os R$ 3 bilhões.
Para onde estão indo esses R$ 3 bilhões? Para 88 mil servidores públicos aposentados. Nós estamos pagando a complementação dessas aposentadorias, em detrimento de 9 milhões de pernambucanos que querem dinheiro na saúde, educação, infraestrutura, segurança e que querem o apoio e a assistencia para a agricultura familiar, porém, não tem dinheiro.
Nós colocamos R$ 2,4 bilhões no ano passado, mas só investimos R$ 1,1 bilhão para 9 milhões de pernambucanos, enquanto colocamos R$ 2,4 bilhões para 88 mil pessoas. E, se aprofundarmos mais e tivermos coragem, desses 88 mil servidores aposentados, 80% deles ganham menos de R$ 5 mil reais.

Blog do Robério Sá – E para onde estão indo os outros 20% do déficit da previdência estadual?
Fernando Bezerra – O grande déficit é dos altos cargos do estado, que são promotores, juízes, desembargadores, deputados estaduais, auditores, entre outros; e se nós não formos tratar isso na campanha, nós não estaremos tratando de nada, porque vai bater na conta da gente, e precisamos saber de onde vamos buscar o dinheiro para pagar as contas do estado e investir na população.

Blog do Robério Sá – O discurso do governador Paulo Câmara é de que Pernambuco se manteve de pé diante da crise. Na sua avaliação, isso procede?
Fernando Bezerra – Ficará evidente, durante as eleições, é essa balela de que Pernambuco ficou de pé por conseguir pagar a folha. Muito pelo contrário, o dever de casa de Pernambuco foi muito mal feito. As finanças do estado vivem uma situação de desequilíbrio profundo e agudo e elas serão questionadas durante a campanha.
Quem não se lembra da campanha de 1998? Eu me lembro de quando fui candidato a vice-governador com Miguel Arraes, e se denunciou a quebra do estado de Pernambuco, porque se teve que utilizar precatórias para pagar a folha do servidor público. Pois muito bem. Nós estamos vivendo hoje uma situação de desequilíbrio nas contas do estado e nós precisamos de esclarecimentos e informações. O debate vai acontecer, então, estou acreditando que esses temas precisarão ser tratados com responsabilidade e serenidade. Mas, não poderão ser tangenciados e precisam revelar a real situação das finanças públicas do estado. Quem foi que nos levou a essa situação? Qual foi a razão dessas dificuldades que estamos enfrentando? E, sobretudo, uma proposta que possa tirar o estado dessa situação.
Observação: Caso deseje utilizar trechos dessa entrevista, por favor, colocar a fonte e pontar um link para o Blog do Robério Sá.roberio-sa-e-fernando-bezerra Entrevista Exclusiva: Fernando Bezerra faz diagnóstico do Governo Paulo Câmara e das Eleições de 2018Depois de 40 dias de peleja, o Senador Fernando Bezerra Coelho, finalmente, concedeu uma entrevista ao Blog do Robério Sá. Agora, esperamos o seu filho, o prefeito Miguel Coelho.



Gilson Pereira

Locutor e apresentador, Blogueiro, Funcionário Público e Acadêmico de Letras.Trabalho - Ocupação Identificador Civil e Criminal


0 “ENTREVISTA : Fernando Bezerra faz diagnóstico do Governo Paulo Câmara e das Eleições de 2018.

    Em respeito à Legislação Eleitoral, o Blog do Pereira.Net não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.